A AMOM se une com a REMCA na Proteção Animal em nossa Cidade

Compartilhe a matéria

CRESCIMENTO DESCONTROLADO DA POPULAÇÃO ANIMAL EM LAURO DE FREITAS

Em cinco anos de atuação a REMCA – Rede de Mobilização pela Causa Animal, tem desenvolvido o mapeamento da situação dos animais no território de Lauro de Freitas e proposto aos poderes constituídos mecanismos e ações exequíveis para solução dos problemas  relacionados à questão da fauna municipal, a exemplo da proposta da PPPA – Política Pública de Proteção Animal, um amplo e consistente instrumento técnico, abarcando todas as vertentes que envolvem a área, construído em 2016 pela CEAPPA – Comissão de Elaboração e Acompanhamento da Política Pública de Proteção Animal, coordenada pela REMCA, envolvendo diversos órgãos e entidades do município, a exemplo do Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, SALVA, diversas Secretarias municipais/CCZ, entre outros. 


A partir da parceria AMOM – REMCA foi feito um levantamento da população de cães e gatos vivendo nas ruas do Miragem e adjacências. As duas entidades começaram a buscar recursos junto aos moradores do Loteamento no sentido de viabilizar estratégias para controlar essa população e, em seguida, tentar dar  melhores condições de vida  para esses animais, seja por meio de adoção responsável, seja pela adoção comunitária, com a colocação de casinhas, alimento, água, viabilização das esterilizações, vacinação e cuidados básicos pelo grupo de moradores que estabelece um vinculo com um animal de rua.


Após divulgação  dessa ação nas redes sociais chegaram até as entidades envolvidas, via contatos e denúncias, um volume imenso de solicitações relacionadas à animais vivendo condições deploráveis em todos os bairros da cidade.


Nesse sentido, faz-se necessário,  urgentemente, discutir com a Prefeita Moema Gramacho um Programa Municipal para controle populacional dos animais, parte importante da PPPA. Essa demanda, que trata não apenas do Direito Animal,  mas também de Saúde Pública,  prescinde de uma agenda com a gestora. 


Animais abandonados nas ruas, além do sofrimento a que são expostos, oferecem riscos à população humana, sem contar a  Questão Ambiental que é de suma importância e constitui-se na base dessa temática.
Sendo assim, visando colocar em pauta um plano de ação para tratar dessa situação, AMOM e a REMCA farão um ofício conjunto ao CONSELHO MUNICIPAL DE POLÍTICA AMBIENTAL INTEGRADA – COMPAI solicitando intervenção urgente, junto aos órgãos do Executivo os quais têm responsabilidade e a atribuição de tratar dessa  questão. 
Para tanto, é fundamental que a Lei Municipal de Proteção Animal n. 1.618/2016 seja regulamentada e que um Programa de Controle Populacional seja iniciado com urgência. 


Comunicação / AMOM – REMCA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *