Vitória está prestes a ter fornecedor inédito de material esportivo; saiba qual

Compartilhe a matéria

Vitória vive um momento financeiro bastante delicado, principalmente após a queda para a Série B. Como se já não bastasse, o Leão, assim como muitos outros clubes brasileiros, está perdendo o patrocínio da Caixa Econômica Federal.

Nesta semana, o presidente rubro-negro, Ricardo David, revelou ao Correio da Bahia que o Leão está negociando para receber valores até maiores do que eram pagos pela Caixa com um novo fornecedor.

O Galáticos Online aputou que o novo fornecedor deve ser a Kappa. Segundo informações apuradas pelo site, faltam apenas detalhes para fechar a negociação. Em caso de acerto, será a primeira vez que a marca vai fornecer o material esportivo do Rubro-Negro

Patrocínio maior que o da Caixa
Em entrevista ao “Bate-Pronto Podcast”, do jornal Correio, o presidente rubro-negro, Ricardo David, afirmou que já está negociando para receber valores até maiores do que eram pagos pela Caixa.

“Por termos caído para Série B, a gente já sabia que esse patrocínio da Caixa iria baixar de R$ 6 milhões para R$ 3 milhões. Mas a gente acredita que o Vitória é uma marca que tem condições de prospectar no mercado um patrocinador maior do que R$ 3 milhões para ser o patrocinador máster e estamos em negociações com eles. Então, é óbvio que nós estamos abertos. Nós não estamos de braços cruzados, já estamos em negociação com outros patrocinadores, são negociações sempre longas, difíceis, mas nós já estamos andando com relação a isso”, disse.

Contudo, o mandatário rubro-negro também havia prometido patrocínios no início de 2018, o que não se cumpriu. Diante disso ele foi questionado sobre os motivos que o fazem acreditar que dessa vez ele irá conseguir cumprir as promessas.

“No ano passado alguns grandes clubes brasileiros como o Vitória também tiveram frustradas as suas expectativas de patrocínio. Foi um ano muito conturbado na economia, na política brasileira, e eu falo isso porque eu sou um profissional que tem empresas e que sente essa dificuldade também. Esse ano a tendência é que tenhamos um ano menos difícil e a gente está percebendo na economia que há uma expectativa positiva. E isso leva a crer que algumas marcas devem estar neste momento com seus projetos de ampliação, principalmente na região nordeste. Nós estamos apostando nisso”, justificou.

Fonte: bnews

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *