Miragem, Vilas e Ipitanga se reunem com a prefeita, veja o resumo da reunião

Compartilhe a matéria

Hoje, dia 09/01/2019 a prefeitura municipal de Lauro de Freitas, chefiada pela Prefeita Moema Gramacho abriu de forma democrática um diálogo com os bairros de Buraquinho/Loteamento Miragem (AMOM), Vilas do Atlântico (SALVA e AMOVA) e Ipitanga (AMI), contou também com um representante de acessibilidade Charles. Foram discutidas demandas latentes das regiões e dúvidas sobre a gestão. O Evento foi provocado pelo MIRAGEM NEWS dentro de seu grupo de Whatsapp e conseguiu discutir problemas em conjunto com as regiões costeiras da cidade. O MIRAGEM NEWS conferiu todo o evento e acredita que foi um passo muito importante para o desenvolvimento das regiões bem como optimizar a visão da gestão pública para resolver problemas crônicos que incomodam muito as populações presentes representadas por esses grupos.

Foto: ASCOM / Prefeitura de Lauro de Freitas

Vamos colocar abaixo o resumo das demandas de cada Região:

Demandas do Miragem ( Representada pela AMOM ):

  1. Finalização da Praça das Corujas com a resolução do impasse do terreno que a comunidade acreditava ser público e descobriram recentemente ter dentro da praça uma porção privada de 8 mil metros. A prefeita se mostrou disposta a resolver essa questão e finalizar a ciclovia e o outro lado da praça, vai buscar junto aos proprietários uma negociação para viabilizar e entregar a comunidade algo que representa muito para todos do Miragem, sua praça completa, finalizada e bem iluminada. Prometeu colocar uma contrapartida para resolver;
  2. Sede da AMOM – O terreno da sede da associação que está presente no TAC de 1977 foi mostrado a Prefeita Moema Gramacho seria situado ao lado da escola Jovina e os moradores de forma cotizada iriam fazer a sede cabendo a prefeitura fornecer o título do terreno para a sede definitiva da AMOM. Nessa área também seria implantada a horta comunitária;
  3. Pavimentação da rua atrás do Gileade bem como pavimentação da área que compreende a ladeira do Colégio Adventista que dá na rua atrás do Gileade;
  4. Via de mão única na Maria dos Reis Silva (promessa da SETTOP);
  5. Melhoria do sistema de transporte que atende o Miragem hoje.
  6. Se comprometeu a aplicar 50% das contrapartidas de obras no Miragem no Loteamento Miragem;

A AMOM foi representada por Eduardo Andrade (Presidente) e Bruno Colonnese ( Diretoria de Comunicação ). Estavam presentes também as moradoras do Loteamento Miragem Anete Pardo e Marcília.

Foto: ASCOM / Prefeitura de Lauro de Freitas

Demandas de Acessibilidade ( Charles / Buraquinho ):

  1. Condições inadequadas para portadores de necessidades especiais;
  2. Transporte público sem nenhuma adequação para os portadores de necessidades especiais;
  3. Charles acredita que os motoristas do transporte público de Lauro de Freitas não dispõem de treinamento adequado a dar um atendimento dígno aos portadores de necessidades especiais;

*Charles é portador de deficiência visual.

Demandas de Ipitanta ( AMI e Hendrik Aquino ):

  1. Porta de entrada do município pela costa deveria ter uma melhor atenção da prefeitura de Lauro de Freitas.
  2. Placa de Ipitanga ausente, a prefeitura se prontificou a colocar uma nova e atualizada com o novo layout da prefeitura;
  3. Falta de infraestrutura;
  4. Fiscalização de comércio irregular  e ambulantes ilegais;
  5. Poluição Sonora;
  6. Más condições de conservação do cartódromo, foi falado que se tornou um local inseguro e até mesmo ponto de drogas;
  7. Escombros nas proximidades do cartódromo;
  8. Proibição de carnaval com trio elétrico na região;
  9. Coleta irregular de lixo em Ipitanga;
  10. Sistema 153 ineficiente ( comprovação em loco com a ligação do Representante da AMOM para provar a ineficiência do sistema e a prefeitura por sua vez falou de um aplicativo que deve ser lançado em breve que dará um protocolo e poderemos fazer as denúncias pelo cellular com foto e descrição do ocorrido gerando registro e comprovação futura para Apple e Android).
  11. Os moradores estavam indignados pela limpeza (matagais) que se formam com uma lenta resposta por parte do poder público para manutenção e podas.
  12. Manutenção do calçadão com pedras soltas o que ocasionou uma briga durante o reveillon com consequências graves inclusive. A prefeita por sua vez informou que existia uma verba que foi parada devido a decisão judicial para uma revitalização da área com um projeto moderno desde 2012 mas por ordem judicial está parado;
  13. Proteção do Rio Sapato;
  14. Reconhecimento do Parque Ecológico de Ipitanga ( A população de Ipitanga já se organizou e colocou a placa e agora querem o reconhecimento e proteção da prefeitura a essa área);
  15. Retirada das baronesas de forma irregular que propicia o crescimento. A prefeitura contrapôs informando que hoje está fazendo testes com um lactobacilo EM-1 que está logrando êxito na diminuição e até extinção dos coliformes fecais e diminuindo bastante as baronesas depois de removidas de forma mecânica, mostou inclusive a água cristalina dos locais onde foi colocado o produto que até o momento está sendo fornecido de forma gratuita durante um ano. Foi falado que já foi colocado o produto em 4 pontos e tem obtido sucesso na remoção da poluição;
  16. 14 Ruas sem pavimentação;
  17. Foi falado da insegurança mas está havendo uma atuação muito forte de Major Fabrício;
  18. Projeto TAMAR e preservação das tartarugas na região de Ipitanga;
  19. Foi comentado sobre o COMPAI e a reativação efetuada dia 08/01/2019 gerando uma esperança de dias melhores para o meio ambiente de Lauro de Freitas.
  20. A AMI questionou a obra da MRV atrás da Unime e solicitou um estudo de impacto do empreendimento bem como do Shopping, a prefeitura mostrou documentos que não puderam ser visualizados devido ao tempo escasso. Todas as associações solicitaram cópias para poderem entender o que esses empreendimentos podem afetar no trânsito, esgoto e no meio ambiente, a prefeitura se prontificou a fornecer uma cópia do estudo;

Representantes da AMI IPITANGA

Ana Cláudia Magalhães, Bióloga licenciada, mestre em Ecologia aplicada em Gestão Ambiental, conselheira ambiental da Osip;

Juno Sardero, Engenheiro eletricista e gestor ambiental e conselheiro da Osip Rio Limpo.

Foto: ASCOM / Prefeitura de Lauro de Freitas

Demandas de Vilas do Atlântico ( SALVA e AMOVA ), :

  1. Exploração ilegal da praia de Vilas por ambulantes e transporte ilegal nos finais de semana;
  2. Remoção de grama da praia pelos ambulantes ilegais;
  3. Segurança ineficiente;
  4. Aumento do IPTU ( 30 a 110%, informação de moradores), informação rebatida pela prefeitura que disse que nenhum aumento passou de 35% e quem teve aumento superior pode procurar a prefeitura que irá regularizar essa situação;
  5. Desvalorização de Vilas do Atlântico devido ao crescimento do comércio e a ausência do poder público;
  6. Rio Sapato sujo ( baronesas crescendo ) , prefeitura mostrou estudo que vem erradicando as baronesas com o uso do EM-1 (Lactobacilo que se alimenta de coliformes fecais e diminui a poluição do esgoto jogado no rio). Foi falado da ausência de peixes e do mal cheiro que está sendo exalado pelo Rio Sapato depois da remoção das baronesas que parece lento e não muito ineficiente porém a prefeitura pediu para aguardar o uso do EM-1 que se mostrou bastante eficaz e vai chegar a Vilas;
  7. Saneamento básico inexistente mesmo no passado tendo colocado tubulações de esgoto que não foram entroncados com as estações de tratamento. A prefeita alegou que essa tubulação por não ter sido entroncada com as estações de bombeamento estão comprometidas e que agora fará as estações de bombeamento ligadas a estação mãe localizada em frente ao restaurante popular. A ordem é passar a tubulação nova por toda a cidade depois da finalização das estações de bombeamento;
  8. Fechamento da Praia de Copacabana nos finais de semana para lazer da população;
  9. Poluição Sonora e ineficiência do sistema 153.
  10. Alvarás ilegais em Vilas frente a decisão judicial;
  11. Ineficiência na fiscalização de obras em Vilas;
  12. Abertura desenfreada de comércios e descaracterização do loteamento;
  13. Sedur não vem tendo transparência na informação dos Alvarás de obras para fiscalização por parte da AMOVA que gostaria de ter essa informação;
  14. Melhoria da malha asfáltica de Vilas que se encontra deteriorada a mais de 20 anos com exceção da Rua Praia de Itapuã reformada por Dr. Marcio e Copacabana (reformada recentemente por Moema). Todos foram unânimes em dizer que o asfalto de vilas está decadente (Principalmente Pajussara e Itamaracá);
  15. Coleta irregular de Lixo e dimensionamento inadequado das lixeiras da praça, mostrando um ambiente desagradante para moradores, turistas e visitantes;
  16. Foi proposto um projeto junto as cervejarias para padronização dos ambulantes bem como um treinamento para atendimento e higiene junto aos clientes. Foi falado também de uma melhor padronização das barracas para poder ter uma harmonia visual da praia;

Representantes:

A Salva foi representada por Márcio, Almeida e Nivaldo.

A Amova foi representada por Antonio Fiuza

Vilas também teve a representação de Aderbal Lemos Jr. (morador do Loteamento).

Considerações da Prefeita Moema Gramacho:

A prefeita informou a todos que medidas estão sendo tomadas em relação ao esgotamento sanitário na cidade e que inclusive o projeto está em andamento na cidade. Informou também que muitas verbas que estavam se perdendo da outra gestão estão tentando ser recuperadas, muitas já foram recuperadas. Houve um impasse no passado em relação a um reajuste que a empresa que estava executando a instalação dos dutos para a embasa que solicitou um reajuste no preço, não sendo atendida parou a obra, o estado entrou na justiça e isso atrasou a obra durante 4 anos, justamente na gestão Márcio, ela já retomando a obra de saneamento básico.

A prefeita recebeu com cordialidade todos os moradores e associações presentes.

Todas demandas foram anotadas pelo assessor da prefeita Leto Lopes que deu o seu contato para futuros questionamentos e melhor suporte as regiões atendidas na reunião.

3 comentários em “Miragem, Vilas e Ipitanga se reunem com a prefeita, veja o resumo da reunião

  • 10 de janeiro de 2019 em 01:28
    Permalink

    Este filme eu venho assistindo a 14 anos ! O Compai passa de um agradecimento de Ongs, Ocipes, Associação, Endidades manipulados pelo poder público municipal ! Onde em troca de progetos fictícios que são elaborados e sem resultados ambientais ! Em quanto o Meio Ambiente não for levado a sério estes escárnio vai continuar sem solução !

    Resposta
  • 10 de janeiro de 2019 em 01:33
    Permalink

    Este filme eu venho assistindo a 14 anos ! O Compai passa de um agraciamento entre Ongs, Ocipes, Associação, Entidades manipulados pelo poder público municipal ! Onde em troca de progetos fictícios que são elaborados e sem resultados ambientais ! Em quanto o Meio Ambiente não for levado a sério estes escárnio vai continuar sem solução !

    Resposta
  • 10 de janeiro de 2019 em 13:59
    Permalink

    Sou contra padronização por parte das cervejarias o que pode direcionar para um monopólio arbitral por uma ou outra marca, deve-se padronizar a forma de como comercializar .

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *