Com dívida de R$ 3,8 mi, PT reduz salário de integrantes do Diretório Nacional

Compartilhe a matéria

O PT anunciou nesta 5ª feira (13.dez.2018) que fará ajustes nas contas da legenda. Entre as medidas anunciadas estão a revisão dos salários dos integrantes do Diretório Nacional e a suspensão do pagamento de viagens de filiados entre dezembro deste ano e janeiro de 2019.

A campanha presidencial de Fernando Haddad deixou para o partido uma dívida de R$ 3,8 milhões.

“As reservas financeiras mantidas pelo PT esgotaram-se nas campanhas de 2018, em especial na campanha presidencial”, diz comunicado assinado pela presidente do PT, Gleisi Hoffmann, e pelo tesoureiro do partido, Emídio de Souza.

No texto, a sigla avalia que o Fundo Partidário “tem se mostrado insuficiente“. O PT deve receber em 2019 cerca de R$ 97 milhões do Fundo, a 2ª maior quantia, perdendo apenas para o PSL, que receberá cerca R$ 110 milhões.

A distribuição do recurso leva em conta a eleição de deputados federais. Apesar do partido de Bolsonaro ter elegido menos deputados que o PT, ele obteve 1 número maior de votos na eleição para a Câmara.

O PT também reduzirá contratos de aluguéis com prédios que servem à legenda e criará 1 conjunto de regras de controle interno e externo que serão apresentadas na próxima reunião Comissão Executiva Nacional.

Além de cortar despesas, o partido vai lançar campanhas com pedidos de doação nas redes sociais.

Leia a íntegra do comunicado:

A campanha presidencial de Fernando Haddad

1. Considerando que as reservas financeiras mantidas pelo PT esgotaram-se nas campanhas de 2018, em especial na campanha Presidencial;

2. Considerando que a campanha presidencial legou ao partido dívidas a serem quitadas, trazendo grande impacto nas finanças partidárias;

3. Considerando que o Partido subsiste praticamente do Fundo Partidário e que este tem se mostrado insuficiente para a manutenção de suas atividades após o término das reservas Financeiras;

4. Considerando que a partir de janeiro, o DN sofrerá sanções do TSE que acarretarão significativa redução dos recursos disponíveis;

Faz-se necessária a adoção de medidas para equilibrar as finanças, saldar as dívidas, manter as atividades partidárias e, assim, garantir a saúde financeira do partido, bem aplicando os recursos públicos do Fundo Partidário colocados à sua disposição.

Diante disso, a Presidência do PT em conjunto com a Secretaria de Finanças & Planejamento comunica a adoção das seguintes medidas :

1. Suspensão de viagens e hospedagens de dirigentes e funcionários durante os meses de dezembro e janeiro;

2. A partir de janeiro, será realizada revisão da folha de pagamento do Diretório Nacional, incluindo funcionários e dirigentes;

3. Redução de contratos de prestação de serviços continuados, a exemplo do que foi feito no início da gestão;

4.Redução de aluguéis com prédios e instalações que servem ao Partido;

5. Reforço das campanhas de arrecadação por crowdfunding e também para contribuição financeira de parlamentares, cargos comissionados e filiados(as).

6. Criação de um conjunto de regras de controle interno e externo com a implantação de compliance a ser apresentado na próxima reunião da CEN.

Gleisi Helena Hoffmann -Presidenta Nacional do PT

Emidio Pereira de Souza – Secretário Nacional de Finanças & Planejamento do PT

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *